HTML5 e o Doctype

html5 superpowers

HTML on ‘roids (imagem retirada do Google)

O HTML5 traz-nos algumas simplificações e muitas novidades – algumas delas darão boas dores de cabeça na criação de conteúdos ricos e criativos. Vamos por partes…

Todos os documentos HTML deverão começar com uma declaração da versão do HTML – o Doctype – que a página contêm. Antes da última revisão dos standards da linguagem HTML, existiam várias definição de tipo de documento – DTD (document type definition):

  • HTML 4.01
    • Strict (“strict.dtd”)
    • Transitional (“loose.dtd”)
    • Frameset (“frameset.dtd”)
  • XHTML 1.0
    • Strict (“xhtml1-strict.dtd”)
    • Transitional (“xhtml1-loose.dtd”)
    • Frameset (“xhtml1-frameset.dtd”)
  • XHTML 1.1
    • DTD (“xhtml11.dtd”)

Além de existirem múltiplos DTD, a forma de escrever o doctype também não era muito simplificado:

HTML4.01 / XHTML1.0 / XHTML1.1

<!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN" "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd">

Felizmente, com as especificações do HTML5 a passarem à fase de “recomendação”, já podemos começar a utilizar a nova forma de declarar o doctype:

HTML5

<!DOCTYPE html>

De momento passou mesmo a ser desaconselhado a utilização dos doctypes obsoletos por serem demasiado longos.

Espero que tenham gostado deste primeiro artigo de uma série sobre as novas funcionalidades do HTML5.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *